Dezembro é conhecido por ser o mês de mobilização na luta contra o HIV, a Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis e, neste ano, marca os 40 anos da epidemia de HIV. O preconceito e o estigma seguem sendo problemas cotidianos, sobretudo, para as pessoas que vivem com HIV/Aids. Para as mulheres negras, esse contexto é ainda pior. Elas formam 54,3% das infectadas pelo HIV e 62,1% das mortes, segundo Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde.

Pensando nisso, a nossa mandata promoveu ontem (02) uma reunião com representantes do Movimento Nacional de Cidadãs Posithivas para conversar sobre a situação das mulheres e pensar em como podemos atuar na Câmara Municipal do Recife. São demandas de falta de profissionais nos Serviços de Atendimento Especializados, como psiquiatras, ginecologistas, endocrinologistas, dentre outros. A questão da saúde mental tem sido um problema constante. Com a pandemia, diversos fatores têm se agravado e colocado essa população em situação ainda maior de vulnerabilidade social.

Além disso, por reconhecer a importância do trabalho de organizações e movimentos em defesa dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/Aids, protocolamos votos de aplausos para a GestosMNCPRNP+BrasilGTP+.

Viver com saúde e dignidade é um direito de todas as pessoas!!