Caminhada teve concentração no Parque 13 de Maio e foi organizada por mais de 20 coletivos feministas da Região Metropolitana do Recife

A vereadora Dani Portela participou nesta terça-feira (8) do ato pelo Dia Internacional de Luta das Mulheres, que caminhou do Parque 13 de maio até o Pátio do Carmo. Ao lado de figuras públicas como a deputada federal Marília Arraes (PT), as Juntas Codeputadas (PSOL), a candidata do PSOL ao senado Eugênia Lima e o candidato ao governo de Pernambuco pelo PSOL João Arnaldo Novaes, a vereadora caminhou pelo centro do Recife pedindo igualdade de oportunidades para as mulheres e o fim da violência de gênero. Neste ano, o mote da manifestação foi “pela vida de todas as mulheres: abaixo o bolsonarismo! Pelo fim da fome, do racismo, do feminicídio e do transfeminicídio”.

“Em pleno século XXI trago dados que são muito tristes. A gente vive em uma país que registra mais de 180 estupros por dia. A cada 8 minutos, uma mulher é estuprada no Brasil. Apesar dessas estatísticas, nós, mulheres, somos 15% de parlamentares nas casas legislativas. O nosso número é menor do que no Afeganistão, lá é quase o dobro do nosso país. Essa é a realidade. Se forem negras, a representação é 2,7%. Por isso estamos hoje nas ruas gritando contra esse governo genocida, que todos os dias combina de nos matar. Mas, como diria Conceição Evaristo: nós combinamos de não morrer”, afirmou Dani.

Votos de aplauso
Durante todo o mês de março a mandata de Dani Portela tem realizado ações de reconhecimento de entidades que atuam com a pauta feminista. A parlamentar aprovou nas últimas sessões plenárias 17 votos de aplausos para Mulheres e instituições que atuam na pauta feminista em todo o Recife. “A gente merece aplaudir as mulheres que há muitos anos resistem em luta. Para mim, o feminismo é uma revolução. Uma revolução de coletivos, de movimentos, de organizações e que não somente nesse Dia Internacional de Luta das Mulheres, mas, cotidianamente, a principal luta do feminismo é por direitos iguais. Por igualdades de direitos e oportunidades entre homens e mulheres. É demais querer isso?”, finaliza a vereadora.